quarta-feira, 20 de julho de 2016

Livro traz depoimentos de sobreviventes de Tchernóbil

Livro traz depoimentos de vítimas da radiação nuclear

“Vozes de Tchernóbyl: A história oral de um desastre nuclear” não é um livro para quem tem coração fraco. Quando iniciei a leitura, precisei parar várias vezes e digerir cada capítulo aos poucos.

A cada página eu tomava consciência do que significava a frase “levar um soco no estômago”. Compreendi que existe muito sofrimento no mundo, e no fundo eu não tenho noção desta realidade brutal.

Svetalana ganhou o Nobel de Literatura de 2015
A obra de Svetlana Alexiévitch, ganhadora do prêmio Nobel de Literatura de 2015, foi a escolhida do Clube de Leitura da Livraria da Travessa, que acontece toda a primeira quarta-feira do mês. Confesso que não tenho uma participação frequente, mas desta vez eu precisava conversar sobre o livro,  que abalou as estruturas da minha alma.

Você acha que estou sendo dramática? Eu não estou. Svetlena passou anos conversando com pessoas que sobreviveram a explosão do reator da usina, ouvindo os depoimentos das pessoas que sofreram na pele as consequências da tragédia. As grávidas que perderam os filhos, as recém-casadas que ficaram viúvas, as mães que enterraram seus filhos, enfim cada pessoa daquela região tem uma ferida de dor, que não se fecha há 30 anos.

Sobrevivente de Tchernobil
Cada capítulo do livro é narrado por um sobrevivente. Algumas histórias são mais chocantes do que as outras, mas em todas elas a morte e a dor são companheiras dos narradores e do leitor. Fiquei indignada ao ter conhecimento dos detalhes de tamanha tragédia.

Os bombeiros que apagaram o fogo da usina nuclear não sabiam do perigo. Eles se expuseram a radiação sem proteção. Horas depois, eles estavam inchados e a pele do corpo deles se soltavam dos ossos. Eles levaram 14 dias para morrer. Foi um período regado de muita dor e de medalhas concedidas aos “heróis” pelo governo soviético. Um capítulo que você lê chorando.

Homenagem aos mortos de Tchernobil

Você que está lendo esta resenha já parou para pensar que se estes bombeiros não tivessem dado a própria vida para combater aquele incêndio, a usina poderia ter explodido? Metade do mundo ou talvez todo o mundo poderia ter sido contaminado pelos resíduos da usina nuclear? Talvez não estivéssemos aqui agora. Eu sabia da tragédia de Tchernóbyl, mas não compreendia a tragédia.

E a população da cidade que via tudo ao seu redor “aparentemente normal”, mas estava em um ar completamente envenenado e não recebia informação do governo sobre o que estava acontecendo?

Sobrevivente chora a morte de parentes em Tchernobil
 São tantas tragédias, tantos desmandos de um governo preocupado apenas em salvar a sua própria reputação, tanta dor, que eu fico pensando que temos que distribuir muito amor para combater todo este mal que tem no mundo.

Precisamos de muitas jornalistas como Svetlana Alexiévitch que dá voz as pessoas que são invisíveis  no nosso mundo: os pobres, os sofredores, os esquecidos, os oprimidos... que precisam falar a sua história e todos nós precisamos ouvi-la. Com certeza aqui no nosso país também existem muitas tragédias que precisam ser escritas, contadas, lidas e ouvidas.

Sobrevivente que voltou para Tchernobil
Livro super recomendado. Quem puder leia. É triste, é amargo, dói, mas vale a pena. Paz e beijos.

terça-feira, 31 de maio de 2016

TBR DE MAIO E O MÉTODO POMODORO

Gente eu flopei nos meses de março e abril e comecei maio flopando. Eu li algumas coisas, mas não cumpri nada do que previ no início do ano e resolvi dar a volta por cima com esta pilha de livros.

Para dar conta de todas estas leituras eu preciso me organizar e após assistir um webinário da Gabriela Brasil descobri o método Pomodoro. 
Para você que acha que é comer tomate ou molho de tomate enquanto lê, eu já garanto que não é nada disso. Você quer saber o que é ?

O método Pomodoro consiste em você se programar para fazer algo. Você se concentra durante 25 minutos sem celular, sem internet apenas fazendo o que você realmente precisa. No meu caso a leitura. Depois deste tempo você para cinco minutos e faz outra coisa da sua preferência. Checa o whatsapp, o Facebook, ou toma um café especial, enfim distrai a cabeça. Depois volta para mais 25 minutos de concentração. A cada quatro pomodoros você faz uma pausa maior de 15 a 20 minutos.


Este método foi desenvolvido por Francesco Cirilo na década de 1980 que estava inconformado com a sua baixa produtividade na hora dos estudos. O primeiro cronômetro que ele usou tinha formato de tomate e por isto o método levou este nome. 

Quem quiser ter um pomodoro online basta acessar tomato timer. Estou começando este método hoje e espero dar conta desta pilha de livros.
Eu também gravei no meu canal do you tube um vídeo falando sobre este desafio. Bora verrr?

domingo, 15 de maio de 2016

Geladeira vira estante de livros

Pensamento do dia: “Quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira para que você consiga” (Paulo Coelho)

A região de Ribeirão Preto está repleta de pessoas que contribuem  para um mundo melhor. É o caso do bibliotecário Haroldo Beraldo, criador do projeto literário “Geladeiroteca”, que funciona em Sertãozinho, Cruz das Posses e Ribeirão Preto.

Foto do acervo da Biblioteca da Canaoeste, de Sertãozinho


A ideia surgiu na 11ª Feira do Livro de Sertãozinho, em 2013, depois que o bibliotecário  pesquisou projetos em todo o país. A ideia já existia, mas ele a adaptou para a realidade da biblioteca da Canaoeste e para a feira com o slogan “Geladeiroteca: consuma aqui e alimente seu espírito”.
As pessoas podem participar do projeto pegando livros e deixando outros no lugar para renovar o acervo.


Haroldo garante que o projeto é gratificante

“Esse projeto é muito gratificante, pois consigo  disponibilizar livros para as pessoas de forma livre e gratuita. Tudo isso tem muita relação com meu trabalho de bibliotecário e também com um gosto pessoal pela leitura. Acredito que todas as pessoas que conseguem essa satisfação pessoal e profissional em seu dia a dia, são pessoas privilegiadas. E eu sou uma delas”, afirma.


Otávio é apaixonado pelos livros

Quem aproveita o projeto é Otávio Brasca Ferracini, 6 anos, que leu seis livros da Geladeiroteca do Fórum de Sertãozinho. “Eu incentivo, mas ler é da natureza dele. Ele ama os livros”, diz Claudia Brasca Ferracini, funcionária pública.

Onde estão as geladeirotecas?
As geladeirotecas estão em Sertãozinho (6), Cruz das Posses (1) e Ribeirão Preto (1) no total de oito equipamentos instalados.
ABA - Associação Amigos do Bairro Alvorada

Rua Washington Luís, 2123 - Jardim Alvorada, Sertãozinho-SP 


FÓRUM SERTÃOZINHO
Av. Pedro Strini, 1197 - Jardim América, Sertãozinho - SP

CCI (Centro de Convivência do Idoso)
Rua Washington Luiz, 603 - Jardim Soljumar, Sertãozinho-SP 

E.E. Prof. MARIA CONCEIÇÃO RODRIGUES SILVA MAGON
Avenida Nossa Senhora Aparecida, 799 - São João, Sertãozinho/SP 

CENTRO DE REFERÊNCIADE INFECTOLOGIA “Dr. JOÃO BATISTA ORTOLAN”
Rua Pedro Bighetti, 910 – Jardim Recreio - Sertãozinho/SP

EMEI Profª. Aracy Pelá
Rua Manoel Soares César, 291 – Jardim Porto Seguro, Sertãozinho/SP 

UBS DR. EDGARD SILVEIRA PAGNANO – CRUZ DAS POSSES
Rua Floriano Peixoto, 1034 – Distrito de Cruz das Posses - Sertãozinho/SP

HOSPITAL-DIA (Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO – USP)
Rua Tenente Catão Roxo, 2650 – Ribeirão Preto

(Reportagem publicada no jornal Cidade em Foco de Santa Rosa de Viterbo que circula também em São Simão e Cajuru).


Um filme de arrepiar




O filme “O sequestro no Metrô 1 2 3” não é apenas um filme de ação, de sequestro de passageiros e pedido de resgate, nas entrelinhas mostra a falta de valorização de um profissional que trabalhou a vida inteira no metrô.

Walter Garber (Denzel Washington) é um executivo mas passou para o controle de tráfego porque do Metrô porque é suspeito de ter recebido suborno na aquisição de um maquinário.


Ao tentar descobrir porque uma máquina está parada nos trilhos ele se depara com Ryder (John Travolta). Ele sequestrou um vagão e quer 10 milhões de dólares para não matar os passageiros.

O prefeito é avisado e um negociador da Policia de Nova Iorque é chamado. Ryder não aceita falar com o policial e exige que Garber assuma o controle.
A atuação dos dois grandes astros de Hollywood não é magnifica, mas agrada aos fãs. Eu fiquei satisfeita, mesmo Denzel mantendo o tique de passar a mão na cabeça a todo momento.
O cenário tende a escuridão, mas retrata a tensão dos personagens. Um dos garotos presos no vagão consegue contato com a namorada e passa a transmitir ao vivo o que está acontecendo pela Internet, mas  este fato é pouco aproveitado durante o filme.

O prefeito de Nova Iorque é nojento e pensa apenas nas benesses que o cargo lhe concede. É o verdadeiro politico presente em cada canto do mundo. Ele foi interpretado por James Gandolfini, (família Sprano), morto em 2013, aos 51 anos de idade, vítima de ataque cardíaco.

A discussão sobre a valorização do profissional toma vários momentos do longa. Os diálogos entre sequestrador e funcionário  faz você pensar até que ponto vale a pena ser um Garber.
Ele começou no posto mais baixo do metrô foi fazendo carreira e de repente um suposto caso de suborno mal apurado o faz perder tudo na carreira. Será que os patrões deveriam ter dado a ele outra chance?

Toda a ação do filme gira em torno do embate entre Garber e Ryder: bem e o mal. Quem afinal irá vencer?

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Dois livros imperdíveis









Dois livros maravilhosos e que eu tive a oportunidade de ler graças ao projeto “O grande desafio do Culto Booktuber”. Neste projeto estão previstos dois desafios por mês. No de janeiro dois canais são os desafiantes

Redemunhando, da Nati, e o Resenhando os Sonhos da Tamirez Santos.
A Nati propôs a leitura de um livro de não ficção. Eu já tinha na minha estante há algum tempo um livro de entrevistas da jornalista Mona Dorf composto pelas melhores entrevistas que ela fez durante o seu programa de TV Letras e Leituras. Gente, eu amei este livro.

Escritora Adriana Lisboa

Primeiro, ele me apresentou a autores novos que eu não conhecia e que já coloquei na lista de desejados. Vou citar uma delas: Adriana Lisboa  que publicou “Os fios da memoria”, “Um beijo de colombina” e o “Coração as vezes para de bater” que foi adaptado para o cinema.




O curta de 17 minutos conta a história de um menino que tem a vida mudada após ganhar um skate da namorada.

Escritora Heloisa Prieto
Também pude conhecer mais sobre autores que eu já lia como a Heloisa Prieto autora de “Mano descobre a liberdade” um livro que conta a história de um menino que descobre que o avô foi um herói durante a ditadura militar. A partir dos acontecimentos o menino também percebe a importância da liberdade, principalmente de  de expressão,  e que é preciso acabar com as  injustiças sociais.


A arte de escrever

Para Heloisa, o ato de escrever necessita de inspiração,  mas também de muita transpiração
Nesta obra incrível você vai saber de onde os autores tiram as suas ideias para livros maravilhosos e também quem os inspirou. Como a grande Clarice Lispector que é quase unanimidade entre os atuais escritores brasileiros.  Machado de Assis e Erico Verissimo também estão entre os preferidos. Eles também bebem na fonte de saber de Guimarães Rosa e Dostoievski.



Eu sei que vou te amar

O segundo desafio é o do canal Resenhando os Sonhos: da Tamirez. Ela propôs um livro que estava na sua estante e você não tinha vontade de ler. Estava parado na minha estante “Eu sei que vou te amar” de Arnaldo Jabor. 
Quando você olha a capa imagina que é um tremendo livro erótico, cheio de sexo, mas não é. Este livro foi baseado em um filme lançado em 1986 e que na época levou mais de cinco milhões de pessoas ao cinema.




Foi estrelado por Fernanda Torres e Thales Pachacon. A Fernandinha ainda está na ativa e até escrevendo livros. Thales morreu vítima do vírus HIV em 1997 após fazer vários filmes, novelas e peças de teatro.
A leitura é muito rápida e engole sua alma, o termo é este mesmo engole você. 
É a historia de um casal que viveu junto durante seis anos, teve uma filha, e resolve se reencontrar depois de três meses de separação. Esta é a única informação que você leitor tem sobre eles. Nada de nomes ou aparência física. Neste encontro você fica sabendo o que ela pensa, o que ele pensa e o que os dois falam durante este reencontro. 


Muitas vezes o que eles falam não é o que eles estão pensando. Como na vida. A gente pensa algo e diz outra coisa por medo de magoar ou para não parecer fraco. Neste reencontro você  descobre que na verdade um não conhecia o outro. Os dois tinham vidas secretas e realizavam desejos obscuros para ferir o companheiro e até se sentirem livres. 
A grande lição do livro para mim é: nada como a sinceridade nesta vida. Ela dá menos trabalho e torna você mais seguro dos passos do dia a dia.
"Autores e Ideias" de Mona Dorf e "Eu sei que vou te amar" de Arnaldo Jabor são livros que eu indico.


Prefere assistir ao invés de ler a resenha? 
Conheça o canal Livro sem frescura

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Leitura conjunta de Edgar Allan Poe





Chega de final feliz. Cansei. Por isto estou participando da leitura conjunta de Edgar Alan Poe, contista, poeta e crítico literário que lançou o gênero do terror na literatura.
Eu e vários canais literários entramos nesta onda e  vamos ler até o final de fevereiro histórias de suspense, terror e mistério.
O incrível Edgar Allan Poe ficou órfão ainda menino, mas foi adotado por uma família rica. Então estudou nas melhores escolas, teve os melhores amigos que o dinheiro pode comprar. Super inteligente era considerado o melhor aluno da classe. Ele era brilhante e suas obras que encantam o leitor até hoje mostram o seu talento.
Mas depois de adulto se apaixonou pela bebida e sua vida começou a degringolar. No entanto, ele nunca abandonou a escrita e fez contos maravilhosos. Este mês, Poe completaria 207 anos de idade porque ele nasceu no dia 19 de janeiro


Dois deles, eu li esta semana. "Willian Wilson" e "A Queda da Casa de Usher".
"Willian Wilson" minha intuição diz que é autobiográfico. No início você se depara com um homem prestes a morrer e que resolve contar a sua história como uma forma de se redimir do que fez de errado na vida.
Ele comenta que foi  um menino muito rico que sempre teve tudo na vida, mas que se tornou violento. Ele chega a dizer que sua má índole é resultado da educação que recebeu dos pais que sempre o deixaram fazer tudo sem impor regras.
No colégio interno ele se encontra com outro rapaz por quem ele pega antipatia imediata e gratuita. Para ele, este outro menino tenta imitá-lo e fazer de tudo para contrariá-lo.
Neste conto, Poe desvenda o interior e os pensamentos macabros de William Wilson e nos mostra um garoto que se transformou em um homem arrogante, competitivo, que gosta de humilhar as pessoas e ser sempre o centro das atenções.
Para saber se Willian Wilson merece perdão você vai ter que ler o conto.

"A Queda da Casa de Usher" é um livro que me dá arrepios. Usher , um homem rico, chama para a sua casa o melhor amigo que o encontra em estado deplorável, parece que prestes a morrer.
Naquela casa sombria ele também conhece a irmã de Usher, Madeline,  que está doente e que desaparece de repente.
Durante a leitura, você percebe que o narrador encaminha o leitor para um desfecho tenebroso e atormentado. A própria mente do amigo visitante vai se deixando levar por aquele clima de decadência, ventos e gritos estranhos.
Usher é o personagem que não aceita boas lembranças, ele está tomado pelas trevas. Tudo indica que cometeu algo que se arrepende, mas que não quer e talvez não possa mudar.
Estes foram os dois contos lidos de Edgar Alan Poe. A leitura conjunta vai até o final de fevereiro.
Se você quiser participar entre na página do evento do Facebook. 

Link para o vídeo do canal, com mais detalhes, está aqui embaixo. Se puder acesse e se gostar se inscreva. Paz e beijos.





sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Liberdade está na simplicidade



O que é liberdade? O que é se sentir livre? Sempre dei muito valor a esta palavra, mas há poucos dias descobri que há momentos em que você sente a plenitude da liberdade praticando, isto mesmo, praticando atitudes completamente banais.
Fui participar do Clube do Livro da Travessa, no RibeirãoShopping, pela primeira vez. Resolvi sair do trabalho e parar direto no local, com uma hora de antecedência. Raramente faço isto. Estou sempre atrasada e correndo como uma louca.


Mas, estou tentando mudar este modo de vida. Ser mais light, curtir os pequenos prazeres da vida. Observar os locais por onde passo. Sentir a chuva e a brisa no rosto. Ouvir os pássaros cantando na hora que eu acordo e quando estou no trabalho. Isto mesmo, no meu trabalho ouço vários pássaros cantarem. Um verdadeiro privilégio você não acha?
Voltando ao shopping, caminhei pelo local com tranquilidade e sem a afobação de sempre. Comprei o livro que seria discutido Isaac Babel, Contos de Odessa, caminhei até a praça da alimentação, comprei um sorvete e tomei olhando o movimento.

Logo em seguida, sentei em um daqueles sofás do shopping, em 20 anos nunca tinha feito isto, e comecei a ler o meu livro. Gente, é indescritível a sensação de paz e de liberdade que eu senti naquele momento.
Em uma hora que passei por ali, antes de participar do encontro, me senti completamente livre, dona do meu nariz, sem amarras ou compromissos inadiáveis. Foi realmente incrível. Eu recomendo que você passe a sentir os pequenos detalhes da vida porque a alegria e a paz estão nestes pequenos momentos.