sábado, 7 de janeiro de 2017

Chico Pinheiro ou Léo Dias: duas polêmicas que nos fazem refletir sobre o papel do jornalista




Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=3nFdgtMlldM

Ontem, quando Chico Pinheiro encerrou o jornal Nacional comemorando a sexta-feira eu comentei com o meu marido: "Ele é melhor que o William Bonner, mais natural".


“Graças a Deus que hoje é sexta-feira. É vida que segue”, ele disse e ao se levantar, fez o sinal de paz e amor, comemorando o fato de ser sexta e estar no fim do expediente.


Um comentário simples e por isso não me surpreendeu quando toda a Internet comemorou o encerramento bem humorado dele. O que eu achei interessante foram os comentários das pessoas: "Alguém normal" ou "gente como a gente",
Como jornalista posso dizer que somos gente sim. Chico Pinheiro, 63 anos, também é gente, é normal e trabalha duro todos os dias para as pessoas receberem em casa notícias fresquinhas. Em março do ano passado, ele recebeu ao vivo a ligação do Rodrigo Bocardi, do Bom dia São Paulo, às 6h40, porque se atrasou para o trabalho, como qualquer ser humano. 


“Chico, estou aqui ao vivo no programa e no viva-voz. Estou esperando você aqui no jornal para o nosso bate-papo. Cadê? São 6h38 e você não apareceu ainda”, disse Bocardi. 

O colega que é torcedor do Atlético Mineiro retrucou : 


“Acontece que hoje é dia de Galo. Nós estamos em festa. Mas estamos aqui acordados, vivos, preparando o Bom Dia Brasil".


Então, jornalista não é estrela, mesmo estando na rede Globo. Ele não tem camarim especial, não pode fazer propaganda para ganhar uns trocados a mais e ainda tem que enfrentar muitos xingamentos, um deles, eu sempre ouvi durante as minhas reportagens, principalmente as de assassinato: "chegou o urubu para pegar a carniça". Vale lembrar que o jornalista não comete as atrocidades, as corrupções e os crimes. Ele apenas divulga o fato.


Léo Dias e a "notícia" sem provas


Interessante, que ao mesmo tempo que Chico Pinheiro bomba nas redes sociais por causa de um comentário sobre a sexta-feira, outro jornalista vira alvo de polêmica. Léo Dias, que vive de fofocas sobre artistas, do jornal "O Dia",  fez comentários a respeito de Danielle Winits, sem provas, sem checagem e ela retrucou desmentindo o rapaz.




Léo Dias não se conteve, apelou feio e falou sobre fatos íntimos da atriz. Novamente, sem provas.



O marido dela, o André Gonçalves, entrou na briga e ameaçou Léo. Gravou um vídeo dizendo que iria quebrar a cara dele. Já Zezé Di Camargo se intrometeu na briga e apoiou o André.



Dois fatos sobre jornalistas para você ler e refletir sobre o verdadeiro jornalismo e saber avaliar quem é o profissional que cumpre bem o seu papel. 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Aos 50 anos, Janet Jackson é mãe pela primeira vez, então Içami Tiba nela



Quando eu vi a notícia que Janet Jackson, irmã de Michael Jackson, é mãe aos 50 anos minha mente voou e eu logo pensei: Ficou cuidando da carreira e só agora resolveu ter filhos.
A irmã do rei da Pop é casada com o empresário Wissam Al Mana e Eissa é o primeiro filho do casal.
Essa é uma opção que muitas mulheres fazem hoje em dia e não dá para ficar julgando a decisão de cada uma delas.
Eu fui mãe aos 22 e aos 34 e posso dizer que tem muita diferença, principalmente, na hora de educar as crianças. Aos 22 você é firme, aos 34 você é maleável e nem sempre a maleabilidade é boa na hora de educar.
Assim como Janet Jackson outras famosas também tiveram filho aos 50.


Em 2011, a atriz Solange Couto foi mãe aos 54 anos de idade


A apresentadora Márcia Goldsmith, aos 50, teve gêmeas

Ter um filho é a maior responsabilidade do mundo. Vale lembrar, que o ideal, segundo a medicina, é ter filhos até os 34 anos para evitar riscos para a mãe e o bebê.
Mas, ninguém discute, ser mãe é o maior presente de Deus e você também descobre o verdadeiro amor quando tem seu bebê no colo.
Para curtir todos os bons momentos é necessário saber educar, afinal eles não vem com manual.


Nesta hora, eu recorro aos livros e tem um que eu sempre deixei na cabeceira da cama: "Quem ama educa", de Içami Tiba. Mãe novamente aos 34 anos eu pecava na hora de impor limites e o livro me ensinou muito.

Frases de Içami para você refletir sobre a educação dos filhos.

" Ser mãe é algo que demanda, acima de tudo, tempo."

"Criar uma criança é fácil, basta satisfazer-lhe as vontades. Educar é trabalhoso."

"A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre"



terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick


O adolescente está se matando. Volta e meia vem a notícia de que alguém pulou do prédio, se enforcou ou usou a  arma da família para tirar a própria vida. O garoto que atenta contra a vida entra na estatística da Organização Mundial de Saúde que alerta: Todo o ano, 1 milhão de jovens morrem no mundo, 7% deles cometeram suicídio.
Os casos não saem nos noticiários porque a mídia acredita que ao relatar casos como esse, estará incentivando outras pessoas a praticarem o mesmo ato.
Suicídio é o tema principal do livro "Perdão, Leonard Peacock" de Matthew Quick. Léo acorda no dia do aniversário decidido: vai se matar e vai levar junto para o túmulo um bonitão da escola, o seu ex-melhor amigo.
Antes de cometer a barbaridade, ele resolve presentear quatro amigos e embrulha os presentes em papel rosa. O primeiro da lista é um aposentado e viciado em cigarro que mora na casa ao lado. Ele ama Humphrey Bogart. Ele e Leo assistem os filmes do ator que fez sucesso na década de 1940 e atuou em Casablanca ao lado de Ingrid Bergman. Olha a foto deles ai genteeee.


O segundo a ser presenteado é um iraquiano que toca violino. Depois é a vez de uma garota cristã por quem Léo tem uma quedinha. Por último um professor que entende os alunos.

O que eu achei?
A narrativa do livro é mesclada entre presente e passado e flui maravilhosamente. Léo emociona o leitor quando lembra da mãe, uma ex-modelo egoísta que pensa apenas em transar. Dá vontade de matá-la porque ela não dá a menor importância ao filho.
Tem também as notas de rodapé que esclarecem sobre os personagens e os momentos que eles viveram. São excelentes e dariam um livro a parte. Também adoro quando o livro traz referências do passado, como os filmes de Bogart.
Você também conhece as cartas do futuro. Um exercício proposto pelo professor Herr Silverman que você pode adotar na sua vida quando você estiver deprê. Imagine que você  tem um filho no futuro e recebe uma carta dele. O que a carta dessa pessoa amada diria a você? Léo recebe carta imaginária da filha. Muito lindo. O livro mantem o suspense. Você vai descobrir porque Léo quer cometer suicídio no final da narrativa. Enfim, um livro que emociona e confesso, me levou as lágrimas. 



Quem é Matthew Quick ? 




O mesmo que escreveu "O Lado Bom da Vida", filme estrelado por Jennifer Lawrence e Bradley Cooper. Escritor, professor de literatura inglesa e treinador de futebol e basquete. Ele largou tudo para ser escritor e a gente o agradece por isto, porque ele tem feito livros ótimos.. Quando escreveu "Perdão, Leonard Peacock" ele disse que tem certeza que cada escola tem um Lèo que precisa ser identificado e ajudado.


Sinopse Skoob

Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

Edição: 2013 / Páginas: 224

Idioma: português 

Editora: Intrínseca

Nota: De zero a 5 - nota cinco

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Novidades do mundo literário: de Lima Barreto a Julian Fucks

Pensamento do dia: "Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido". Fernando Pessoa


Lima Barreto, o escritor carioca que viveu entre 1881 e 1922  será o  homenageado da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, que acontece entre 26 e 30 de julho e 2017. Quando viveu ele era criticado e chamado de recalcado e teve pouco sucesso, mas na década de 1950 ele ganhou prestígio no Brasil depois da organização de seus romances. Livros como Triste fim de Policarpo Quaresma e Clara dos Anjos mostram o talento do autor que soube retratar o Rio de Janeiro e seu povo com fidelidade. 



Luana e Anderson, de Jundiaí, vão realizar o sonho de muita gente. Eles embarcam em dezembro a bordo da Kombi Antonieta para uma viagem sem data para voltar, pela América do Sul. O veículo foi transformado em casa e os levará para conhecer as mais diversas culturas do continente sul americano. Antes, eles farão uma parada no Sesc Ribeirão para apresentar a Antonieta e contar mais sobre essa incrível viagem. O evento acontece na quarta-feira, das 19 às 22h, na rua Tibiriçá, 50, em Ribeirão Preto.



Adoniran Barbosa volta com tudo em 2016, após 34 anos de sua morte. Um disco e um DVD, lançados pela Gravadora Eldorado sob o título Adoniran – Se Assoprar Posso Acender de Novo, trazem 14 faixas nunca gravadas, com letras creditadas ao autor de Trem das Onze.  As músicas são interpretadas por Ney Matogrosso, Criolo, Liniker , Fernanda Takai e Leo Cavalcanti. Um bom presente para o final do ano.




O romance A Resistência, de Julián Fuks, ficou em primeiro lugar na categoria Romance do 58º Prêmio Jabuti. Fuks foi uma das presenças da Feira do Livro de Ribeirão Preto, em 2016. Em segundo lugar, ficou Bazar Paraná, de Luis S. Krausz, e, em terceiro, Desesterro, de Sheyla Smanioto. Em Poesia, o músico Arnaldo Antunes, pelo livro Agora aqui ninguém precisa de si. 




Na categoria Contos e Crônicas, a vencedora foi Natalia Borges Polesso, por Amora  e Roger Mello, levou na categoria Livro Infantil por Inês. Novidades desde a edição passada, as categorias Adaptação e Infantil Digital ficaram respectivamente com Oamul Lu e Isabel Malzoni, por Pequenos grandes contos de verdade  e Rodrigo Lacerda, por Hamlet ou Amleto. Cada vencedor ganhará R$ 3,5 mil, além do troféu que também será dado aos segundos e terceiros colocados. No próximo dia 24, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, serão conhecidos os livros dos anos (ficção e não ficção) que darão aos seus autores um prêmio de R$ 35 mil, além do troféu dourado. 

sábado, 5 de novembro de 2016

Bela Gil,a menstruação e a evolução dos absorventes no tempo


Tenho 50 anos e minha menstruação parou de vir há pouco tempo. Esta semana me deparei com o burburinho causado por Bela Gil, apresentadora do programa  Bela Cozinha, da GNT, ao falar que usa uma calcinha especial nos dias em que está menstruada.


Eu sou da época do uso do famoso paninho, que tinha que ser lavado e reaproveitado. Dava trabalho, mas era bom para o meio ambiente. Não poluía e era econômico. O duro era lavar.Agora, é chamado de absorvente ecológico, que na foto está muito chique. Na minha época, comprava-se pano de saco, cortava em tiras e usava, mas sem contar para ninguém.


Outras pessoas optam pelo famoso copinho coletor. Sinceramente meu povo, eu não daria certo com o copinho, porque sempre tive que usar absorventes potentes. Colocava dois de uma vez só e trocava várias vezes ao dia. Muitas vezes, eles não aguentavam, o fluxo vazava e a vergonha era certa.

Abaixo o tabu sobre menstruação

Mas, este post é para falar sobre a declaração de Bela Gil e a comoção causada na web. Eis aqui a minha opinião a favor da calcinha criada por uma estudante norte-americana.
Primeiro, não tem nada demais falar de menstruação. Em pleno século XXI o tema já deveria ter deixado de ser tabu.



Que ótimo que ela está disposta a dar dicas para nós mulheres sobre as novidades do momento.
Ela sugeriu esta calcinha, que os lojistas garantem que segura a menstruação. E vocês têm verginha de falar de menstruação? Espero que não. Paz e beijos


Você fala muito ou pouco? Já sei, você não é de falar. Saiba quais os personagens mais calados da literatura


Você tem na família aquela pessoa quietinha, que quase não joga conversa fora e que apenas observa tudo?
Eu tenho várias pessoas assim na minha família e o contraste é incrível. Uma delas eu convivo todos os dias. Eu falo sem parar e ela ouve e apenas mexe a cabeça como se estivesse concordando. Finge que está ouvindo. 
Sabe de quem estou falando??? Claro, acertou: do meu marido. 
Fiquei pensando quem seriam os personagens  mais calados da literatura. A primeira que me veio a cabeça foi:

Macabéa, de "A Hora da Estrela"


Personagem de um dos livros mais famosos da escritora Clarice Lispector. A jovem nordestina que vem para o Rio de Janeiro para melhorar de vida. Ela se torna datilógrafa, arruma um namorado que a deixa por outra, descobre que tem tuberculose e enfrenta tudo calada, sem contar a ninguém. 


O livro foi adaptado para o cinema e Marcélia Cartaxo ficou com o papel principal. Eu, na pele de Macabéa, também seria calada. Que triste.

Leonard do livro "Perdão, Leonard Peacock


Este menino é um ser humano complexo. Adolescente que assiste filme em preto e branco e gosta de Humphrey Bogard, de Casablanca , só pode ser um garoto calado. Comecei a ler este livro por sugestão da Francine Estevão e estou adorando. O livro é triste, triste, triste. Narra a história de um menino que decide se matar no dia do aniversário, mas antes ele quer se despedir de alguns amigos. A impressão que Leonard me passa é que ele é calado e tem dificuldades de se abrir com todos. Channing Tatum foi convidado para dirigir o filme que está em fase de produção. O livro foi escrito por Matthew Quick.

Smith de "Loney"

O corpo de uma criança é encontrado em uma praia. Smith é informado da descoberta através do noticiário e começa a relembrar o passado, quando ele viajou para aquela ilha da Inglaterra com a família há quarenta anos. Sempre preocupado em cuidar do irmão, que tem problemas de fala, Smith esquece de cuidar de si próprio e fala muito pouco. Livro escrito por Andrew Michael Hurley.
Estes são alguns dos personagens calados que eu lembrei, mas tem muito mais. Se você quiser indicar algum deixe nos comentários. Quem são os calados da sua família? Aposto que tem muitos. Espero que você tenha gostado do post. Paz e beijos.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Top3: Três personagens literárias que tem problemas com a balança



Segunda-feira é o dia universal do regime. Esta é a milionésima dieta que eu começo este ano e agora vai, vai, vai... Nos últimos 3 anos engordei mais de dez quilos, nem vou falar o peso exato porque tenho vergonha.
Que saudades de colocar a minha calça 36...Domingo, quando deitei na cama e pensei o roteiro da minha alimentação nesta segunda-feira, eu me lembrei dos personagens literários que sofrem com o excesso de peso. Aqueles que são vítimas da sanfona como eu. Depois de muito pensar eu selecionei três personagens literárias que tem problemas com a balança.


Bridget Jones


Eu li apenas o primeiro livro escrito por Helen Fielding, mas assisti a todos os filmes. A como saiu o novo filme, "O bebê de Bridget Jones" eu espero completar a leitura de todos. Renee Zellweger chegou a engordar dez quilos para fazer o papel da garota inglesa que é gente como a gente. Sofre com o peso e está a procura de um amor. Bridget também está sempre fazendo contagens malucas das calorias ingeridas.

Eleanor


O livro "Eleanor&Park", de Rainbow Rowell é uma gostosura. A história da menina gordinha, de cabelo ruivo, que se veste de forma extravagante e usa baunilha como perfume encanta qualquer leitor. Neste livro, a gente se enche de nostalgia e de amor por Park que se apaixona pela garota e oferece a ela gibis e fitas cassetes com várias músicas da hora. Eleanor tem problemas para aceitar o próprio corpo.

Rachel

Olha o preconceito ai gente. No livro, "A Garota no Trem" Paula Hawkins deixa claro que Rachel está acima do peso. Também ela bebe igual uma esponja. No filme, lançado há poucos dias, Emily Blun está magra. Que pena.

Estas são as personagens que como eu deve começar sempre um regime na segunda-feira. E você vai começar o seu??? Boa semana.