Livro traz Depoimentos de Sobreviventes de Tchernóbil

  • 15:36
  • 20 julho 2016
  • Livro traz depoimentos de vítimas da radiação nuclear
    “Vozes de Tchernóbyl: A história oral de um desastre nuclear” não é um livro para quem tem coração fraco. Quando iniciei a leitura, precisei parar várias vezes e digerir cada capítulo aos poucos.

    A cada página eu tomava consciência do que significava a frase “levar um soco no estômago”. Compreendi que existe muito sofrimento no mundo, e no fundo eu não tenho noção desta realidade brutal.

    Svetalana ganhou o Nobel de Literatura de 2015
    A obra de Svetlana Alexiévitch, ganhadora do prêmio Nobel de Literatura de 2015, foi a escolhida do Clube de Leitura da Livraria da Travessa, que acontece toda a primeira quarta-feira do mês. Confesso que não tenho uma participação frequente, mas desta vez eu precisava conversar sobre o livro,  que abalou as estruturas da minha alma.

    Você acha que estou sendo dramática? Eu não estou. Svetlena passou anos conversando com pessoas que sobreviveram a explosão do reator da usina, ouvindo os depoimentos das pessoas que sofreram na pele as consequências da tragédia. As grávidas que perderam os filhos, as recém-casadas que ficaram viúvas, as mães que enterraram seus filhos, enfim cada pessoa daquela região tem uma ferida de dor, que não se fecha há 30 anos.

    Sobrevivente de Tchernobil
    Cada capítulo do livro é narrado por um sobrevivente. Algumas histórias são mais chocantes do que as outras, mas em todas elas a morte e a dor são companheiras dos narradores e do leitor. Fiquei indignada ao ter conhecimento dos detalhes de tamanha tragédia.

    Os bombeiros que apagaram o fogo da usina nuclear não sabiam do perigo. Eles se expuseram a radiação sem proteção. Horas depois, eles estavam inchados e a pele do corpo deles se soltavam dos ossos. Eles levaram 14 dias para morrer. Foi um período regado de muita dor e de medalhas concedidas aos “heróis” pelo governo soviético. Um capítulo que você lê chorando.

    Homenagem aos mortos de Tchernobil
    Você que está lendo esta resenha já parou para pensar que se estes bombeiros não tivessem dado a própria vida para combater aquele incêndio, a usina poderia ter explodido? Metade do mundo ou talvez todo o mundo poderia ter sido contaminado pelos resíduos da usina nuclear? Talvez não estivéssemos aqui agora. Eu sabia da tragédia de Tchernóbyl, mas não compreendia a tragédia.

    E a população da cidade que via tudo ao seu redor “aparentemente normal”, mas estava em um ar completamente envenenado e não recebia informação do governo sobre o que estava acontecendo?

    Sobrevivente chora a morte de parentes em Tchernobil
     São tantas tragédias, tantos desmandos de um governo preocupado apenas em salvar a sua própria reputação, tanta dor, que eu fico pensando que temos que distribuir muito amor para combater todo este mal que tem no mundo.

    Precisamos de muitas jornalistas como Svetlana Alexiévitch que dá voz as pessoas que são invisíveis  no nosso mundo: os pobres, os sofredores, os esquecidos, os oprimidos... que precisam falar a sua história e todos nós precisamos ouvi-la. Com certeza aqui no nosso país também existem muitas tragédias que precisam ser escritas, contadas, lidas e ouvidas.

    Sobrevivente que voltou para Tchernobil
    Livro super recomendado. Quem puder leia. É triste, é amargo, dói, mas vale a pena. Paz e beijos.

    Tecnologia do Blogger.